contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

10 presos na Operação Pecúlio são liberados Todos estavam em prisão preventiva; Ação da PF investiga fraudes em licitações em Foz do Iguaçu

Todos estavam em prisão preventiva; Ação da PF investiga fraudes em licitações em Foz do Iguaçu


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

Durante o último fim de semana, 10 das 14 pessoas presas após a deflagração da Operação Pecúlio, em Foz do Iguaçu, foram liberadas da carceragem da Polícia Federal.

Estes, tiveram apenas a sua prisão preventiva decretada, que é válida por cinco dias. Foram soltos:

– Edson Queiroz Dutra (empresário)
– Vilson Sperfeld (empresário)
– Alexandro Tavares Ferreira (empresário)
– Charles Bortolo (ex-secretário de Saúde)
– Evori Roberto Patzlaff (ex-secretário de Obras)
– Sandro Hideo Saito (empresário)
– Cristiano Fure de França (ex-diretor de Obras)
– Rosinaldo Luziano dos Santos (empresário)
– Fernando da Silva Bijari (empresário)
– Mario Cesar Habby dos Santos (empresário)

As quatro pessoas que tiveram suas prisões preventivas decretadas (por tempo indeterminado), continuam na PF, são elas: 

– Nilton João Beckers (empresário)
– Euclides de Moraes Barros Júnior (empresário)
– Melquizedeque da Silva Correia Ferreira Souza (ex-secretário de Tecnologia da Informação)
– Rodrigo Becker (ex-secretário de Planejamento)

A operação que aconteceu na última terça-feira, 19, tem por objetivo desarticular um grupo voltado para a prática de crimes contra a Administração Pública, especialmente em processos licitatórios municipais envolvendo verbas públicas federais, com a finalidade de obtenção de vantagens indevidas. De acordo com a PF, foram encontrados irregularidades em seis processos licitatórios, ligados às secretarias de Obras e de Saúde, que somaram um prejuízo de mais de R$ 4 milhões aos cofres públicos. 

Na ação foram expedidos 84 mandados judiciais, sendo quatro deles de prisão preventiva, 10 temporárias, 51 de busca e apreensão e 19 de condução coercitiva. 

Os investigados responderão pelos crimes de peculato, corrupção passiva e ativa, prevaricação, crimes à lei de licitações e organização criminosa. Se condenados, os envolvidos podem pegar penas de mais de vinte anos de prisão.

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio

Parceria

Anúncio

Assine

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Categorias

Anúncio

Rodízio de massas - Noite Italiana
Logo do ClickFoz