contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Acadêmicos da Unila poderão optar por aulas de Guarani e Quéchua O Quéchua é uma língua indígena falada no Peru, Bolívia e Equador

O Quéchua é uma língua indígena falada no Peru, Bolívia e Equador


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

O aprendizado de línguas é destaque na Unila desde a sua criação, devido à proposta de bilinguismo na pedagogia e na administração, além da promoção e do reconhecimento do multilinguismo. A Universidade conta com disciplinas obrigatórias a todos os cursos da graduação, integradas ao Ciclo Comum de Estudos (o estudante brasileiro aprende o espanhol e o estudante estrangeiro aprende o português). Existem ainda projetos de extensão que buscam difundir o acesso ao ensino de diversas línguas com a comunidade interna e externa.

Foto: Assessoria
Acadêmicos de todos os cursos agora poderão optar por estas duas disciplinas

O curso de Letras – Artes e Mediação Cultural é um importante promotor deste contexto, contemplando em sua grade curricular a disciplina de Guarani, de modo obrigatório, e abrindo espaço para o ensino de outras línguas – como alemão, francês e inglês -, de maneira optativa.

Em 2015, pela primeira vez, serão oferecidas as disciplinas de Quéchua (língua indígena falada amplamente em países andinos como Peru, Bolívia e Equador) e de Guarani (língua oficial do Paraguai e do Parlamento do Mercosul) como optativas a acadêmicos de todos os cursos e semestres, mesmo aqueles ingressantes.

O professor Mario Ramão Villalva Filho, coordenador do curso de Letras – Artes e Mediação Cultural é também o primeiro professor de Guarani da Unila, disciplina que ministra desde 2012. Segundo ele, este processo de reconhecimento da importância e do valor das línguas indígenas, bem como a ampliação do acesso a esses idiomas, passa por um segundo momento. "Este processo de valorização da diversidade linguística foi iniciado com o Guarani e será ampliado com o Quéchua. Pretendemos, ainda, avançar com outras línguas indígenas, como o Aymará, falado, principalmente, na Bolívia e Peru", disse.

Já a disciplina de Quéchua será de responsabilidade do professor Ladislao Landa Vásquez. O docente é vinculado à Universidad Nacional Mayor de San Marcos (UNMSM), do Peru, e está como professor visitante na Unila.

Extensão – Desde o início das atividades, a Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) apoia ações extensionistas que visam o ensino de línguas a públicos diversos. Dentre as ações, destaque para os cursos de guarani, espanhol, francês, inglês, alemão e português, ofertados, sempre gratuitamente, à comunidade interessada. Para conferir os cursos de extensão que estão com inscrições abertas, clique aqui.

Haiti – Neste ano, a Unila receberá um grande grupo de estudantes do Haiti – país que teve o sistema educativo destruído por um terremoto de grandes proporções, em 2010. Com isso, há a necessidade do desenvolvimento de um processo comunicativo entre falantes de português, espanhol e creole (língua principal do Haiti, que tem como base o francês).

Segundo a professora de Línguas e chefe da Seção de Mobilidade da Pró-Reitoria de Relações Institucionais e Internacionais (PROINT), Jorgelina Tallei, caberá a cada estudante optar pelo idioma que irá cursar e procurará desenvolver. "Poderão optar pelo português ou espanhol e realizar cursos como atividade extraclasse. Em contrapartida, trarão para a comunidade a sua própria língua, ampliando, ainda mais, a diversidade linguística do nosso contexto", pontuou.

 

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Categorias

Assine

Logo do ClickFoz