contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Canoagem Slalom do Brasil faz história em Foz do Iguaçu Atletas brasileiros encerram Mundial de Canoagem Slalom com a conquista de quatro medalhas

Atletas brasileiros encerram Mundial de Canoagem Slalom com a conquista de quatro medalhas


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

O Brasil mostrou que está no caminho certo no desenvolvimento da Canoagem Slalom no país com a conquista neste domingo, 26, de mais duas medalhas (prata e bronze) no Campeonato Mundial de Canoagem Slalom Junior & Sub-23 2015, evento que reuniu os melhores atletas da nova geração mundial da modalidade. No sábado, 25, os brasileiros já haviam garantido dois bronzes na competição, resultados históricos para a modalidade.

Foto: Assessoria
Ana Sátila é vice-campeão mundial na categoria K1 feminino sub-23

Na primeira prova deste domingo, a jovem Ana Sátila, representante do Brasil nos Jogos Olímpicos Londres 2012 e principal esperança de medalha na modalidade ano que vem no Rio de Janeiro, conquistou o vice-campeonato mundial no K1 Feminino Sub-23 logo em sua estreia na categoria, com o tempo de 96.66 segundos. Ano passado, na Austrália, Ana havia se consagrado campeã mundial na categoria Junior. O ouro na prova ficou com a agora tricampeã mundial, a australiana Jessica Fox (93.52) e o bronze com a austríaca Lisa Leitner (98.52).

Ana disse que estava confiante em sua descida, mas mesmo cometendo alguns erros ela acredita que poderia ter sido ainda melhor. "Foi o suficiente para o pódio e era isso que estava esperando. Ganhar uma medalha dentro de casa é diferente. Foi o momento mais marcante de minha carreira. Eu sou uma nova atleta depois deste campeonato, sei que posso ir além do que esperava, estou muito feliz com a descida, isso me motiva".

A brasileira também ressalta a importância de subir ao pódio com a australiana Jessica Fox, um fenômeno do esporte em todo o mundo. "Ela é realmente incrível, tem toda uma história na canoagem e dividir o pódio com ela e com tão poucos segundos de diferença foi emocionante. Foi uma conquista inédita na minha carreira e estou muito feliz", comemorou.
 

Foto: Assessoria
Ao todo o Brasil conquistou quatro medalhas no Mundial disputado em Foz do Iguaçu

Logo após a conquista de Ana Sátila veio mais uma medalha para o Brasil. Charles Correa e Anderson Oliveira garantiram o bronze no C2 Masculino Sub-23 com o tempo de 102.84 segundos, em prova que o ouro ficou com a Polônia (100.78) e a prata com a Eslováquia (100.97).  Ainda na final Felipe da Silva e Fabio Rodrigues terminaram na 5ª colocação (111.13) e Pedro Aversa e Rafael de Souza em 7º (116.51).

Anderson disse que o objetivo era o ouro, mas que o resultado foi muito importante para eles. "A gente busca sempre o primeiro lugar, mas a equipe da Polônia é muito forte. No fim, foi um excelente resultado, nossa primeira medalha em Campeonatos Mundiais". Para Charles é resultado do trabalho em conjunto. "A Canoagem Brasileira está crescendo muito. Esta medalha representa o reconhecimento de todo nosso esforço e das pessoas que nos apoiaram", ressaltou.

Nas provas por equipes o Brasil conquistou a 9ª colocação do K1 Feminino Sub-23 com Ana Sátila, Omira Estacia Neta e Marina Costa. O ouro ficou com a Áustria (119.21), a prata com a Austrália (121.03) e o bronze com a República Tcheca (122.13). No K1 Feminino Junior por Equipes as canoístas brasileiras Nathalia Marangoni, Maryane dos Santos e Beatriz da Motta ficaram em 6º lugar em prova que teve a República Tcheca campeã (118.35), Alemanha vice (123.93) e Espanha em terceiro (127.08).

Sábado com dois bronzes para os Meninos do Lago – No sábado, 25, a primeira medalha brasileira veio logo na primeira disputa do dia, no C1 Masculino Sub-23 com Felipe Borges da Silva. O jovem canoísta iguaçuense, oriundo do Instituto Meninos do Lago (IMEL), revelador de talentos na cidade paranaense, conquistou a medalha de bronze na final com o tempo de 96.78 segundos. A prata ficou com o italiano Paolo Colazingari (95.09) e o ouro com o britânico Adam Burgess (93.22).

"Pra mim é medalha de ouro. Consegui descer bem, gostei muito e quero agradecer pela torcida. Eu vim do projeto Meninos do Lago, o qual tenho que agradecer, pois a Itaipu Binacional vem ajudando muito a gente. Essa medalha foi uma motivação. Agora tem o Pan-Americano que tenho que buscar a vaga ainda contra atletas muito fortes. Meu sonho são os Jogos Olímpicos e tenho que correr atrás disso", comemorou.

Segundo o superintendente da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), Argos Rodrigues, a conquista inédita desta medalha na categoria C1 é uma grata surpresa e resultado de todo o trabalho desenvolvido no Instituto Meninos do Lago. "Este projeto é sem dúvida o maior celeiro da Canoagem Brasileira. Com o Meninos do Lago patrocinado pela Itaipu e, posteriormente, com o projeto da equipe permanente apoiado pelo BNDES, hoje o Brasil está aí. Coisas que eram impensáveis anos atrás estão acontecendo, como por exemplo colocar três caiaques na final do masculino, um feito histórico", afirmou.

O Meninos do Lago é um projeto social comprometido em atender 100 jovens de 7 a 17 anos da Vila C de Foz do Iguaçu.  Os jovens têm que ser estudantes de escolas públicas e o projeto não visa só o esporte, mas também a educação. "O atleta pode ser campeão brasileiro e não ter assegurado sua participação senão levar a sério a questão educacional. O futuro deles está na escola e não só na canoagem. Já passaram pelo projeto mais de 600  jovens atletas", completou Rodrigues.

O segundo bronze brasileiro veio no K1 Masculino por Equipes com o tempo de 99.87 segundos, representado pelos canoístas Pedro da Silva, Fabio Rodrigues e Marcello Mapelli. A conquista da medalha premia a batalha dos brasileiros por medalhas no Mundial que reúne a nova geração da Canoagem Slalom mundial. Na prova ouro ficou com a República Tcheca (97.69) e a prata com a Polônia (99.49).

"A gente vinha muito concentrado e treinando há um tempinho. Descemos bem e acabaram nos dando uma falta que não tivemos na baliza 12. Entramos com protesto e acabaram tirando. Conseguimos assim o terceiro lugar, bronze inédito para o Brasil nessa prova e estamos muito felizes com isso", comemorou Pedro da Silva, mais conhecido como Pepê.

 

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Categorias

Assine

Logo do ClickFoz