contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Caso raro, anta gêmea gera primeiro filhote em Foz do Iguaçu Animal nasceu com cerca de seis quilos e passa bem; Gêmeos foram gerados em 2011 e surpreenderam especialistas

Animal nasceu com cerca de seis quilos e passa bem; Gêmeos foram gerados em 2011 e surpreenderam especialistas


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

Em julho de 2011, o Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), da Itaipu Binacional, registrou o caso raro de nascimento em cativeiro de um casal de antas gêmeas. Um novo capítulo dessa história aconteceu no último dia 23 de abril, quando a anta Amada, a fêmea do casal de gêmeos, deu à luz o primeiro filhote.

O animal nasceu com cerca de seis quilos e passa bem de saúde. Amada e o filho permanecem no criadouro do RBV, uma área isolada do zoológico. Quando completar dois meses de idade, poderá ser transferido para um recinto maior e conviver com os outros animais da espécie, incluindo o pai, o macho Robinho.

O médico veterinário Zalmir Cubas, da Divisão de Áreas Protegidas de Itaipu, disse que o filhote nasceu forte e aguentou bem até mesmo os dias mais frios. “A fase crítica já passou. A atenção da mãe (Amada) é grande, ela tem se comportado muito bem, mesmo sendo a primeira gestação”, afirmou.

Amada e o irmão, o macho Bio, são filhos de Zefa e Pimpolho, casal de antas formado no Refúgio Biológico. O nascimento dos gêmeos, em 2011, surpreendeu os pesquisadores, que não encontraram registro de caso semelhante no mundo.

Na avaliação de Cubas, a gestação de Amada e o surgimento de uma nova geração de antas no Refúgio Biológico comprovam o sucesso do programa de reprodução em cativeiro e é um estímulo para os profissionais envolvidos no trabalho.

“O nascimento de Amada e do irmão Bio já foi um caso raro. Por isso, a sua primeira gestação tem um valor simbólico muito forte. Além disso, nos permite acompanhar a evolução do plantel e mostra que a reprodução aqui está estabilizada”, completou.

O filho de Amada é a 14ª anta nascida no Refúgio Biológico. Já o plantel atual de antas no espaço é de dez animais, sendo seis machos e quatro fêmeas – três delas, em fase reprodutiva.

De acordo com o médico veterinário, o período de gestação da anta é longo – 13 meses. Ao nascer, o filhote se alimenta apenas do leite da mãe. Adulto, come frutas, folhas e grama. A pelagem camuflada, que lembra uma melancia e desaparece em cerca de seis meses, é uma estratégia para se esconder dos predadores, especialmente a onça.

Sobre a espécie – O Livro Vermelho da Fauna Ameaçada no Estado do Paraná (2004) posiciona a anta (Tapirus terrestris) como uma espécie em perigo no Estado, embora exista registro de sua presença em áreas como o Parque Nacional do Iguaçu.

Zalmir Cubas comenta que o trabalho de reprodução do animal ajuda na conscientização, no conhecimento da espécie e no esforço de preservação da biodiversidade na Bacia do Paraná 3. Além disso, contribui com pesquisas científicas – como um projeto inédito de avaliação seminal da espécie desenvolvido com apoio de Itaipu.

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Parceria

Categorias

Anúncio

Rodízio de massas - Noite Italiana
Logo do ClickFoz