Empresas parceiras

Igushuttle - Destino Iguassu - Passaporte Iguassu - IguFoz - Loumar Turismo
Noite Italiana - Hotel Bella Italia - Águas do Iguaçu Hotel - Bogari Hotel - Iguassu City Tour

contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Cidade: primeiro as pessoas e depois as árvores


Por: Garon Piceli

Publicado em:


Acredito que nossa cidade precisa abrir um debate profundo sobre a arborização urbana.

Foz do Iguaçu é uma lugar quente, muito quente. Assim, quanto mais arborizada for, mais sombra, melhor para nós. O grande problema é: durante anos, pouco se fez quanto ao planejamento de nossa cobertura vegetal e, hoje, basta um vento um pouco mais forte para os estragos serem percebidos por toda a cidade.

Uma saída – e já dissemos isso aqui -, em outra oportunidade, seria um levantamento de todas as árvores plantadas no perímetro urbano de Foz do Iguaçu, em um projeto coordenado por biólogos, urbanistas, paisagistas e engenheiros, começando pelo Centro e, aos poucos, se estendendo para os bairros.
 

Muitas cidades, menores e maiores que a nossa, já fazem esse trabalho.

O levantamento, ao final, serviria como um inventário, um catálogo, para orientar uma segunda etapa: a retirada de árvores condenadas ou inadequadas ao espaço e o plantio de espécies mais aptas ao convívio urbano; além de permitir um trabalho de poda programada, diminuindo, assim, o risco de acidentes.

Ainda, tal levantamento poderia nos ajudar a resolver graves entraves, como o dano às calçadas na República Argentina, entre a Paraná e a JK, e a questão do canteiro da Avenida JK, entre o TTU e a José Maria de Brito, uma das áreas de sombra mais mal aproveitadas de Foz. Neste caso, já apresentamos aqui a proposta de uma pista exclusiva para ônibus em troca de outro ponto de arborização, com maior fluxo de pessoas.

Por fim, lembrar que uma cidade é um espaço construído por pessoas e para pessoas. Assim, as políticas devem ser fundadas na assistência adequada aos moradores, seja no planejamento do Transporte Público, na mudança de regras para carros e caminhões e na forma como convivemos com a natureza. Em uma cidade inteligente, as árvores não devem cair sobre as pessoas. Nunca. E a Foz que queremos deve ser uma cidade inteligente.

 

 


 

 * Luiz Henrique Dias é dramaturgo, estudante de Arquitetura e Urbanismo e Iguaçuense. Ele escreve para o Clickfoz todas as quartas, debatendo a cidade e o homem. Siga ele no Twitter: @LuizHDias

 

 

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Categorias

Assine

Logo do ClickFoz