contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Comissão Especial do IDEB ouviu mais sete depoimentos nesta sexta Os parlamentares se reúnem na próxima quarta (27) para definir quais serão os próximos passos da CE

Os parlamentares se reúnem na próxima quarta (27) para definir quais serão os próximos passos da CE


Por: Leca

Publicado em:

Na manhã desta sexta-feira (22) a Comissão Especial do IDEB, formada pelos Vereadores: Dilto Vitorassi (PV) – Presidente, que conduziu os trabalhos; Nilton Bobato (PC do B) – Relator e Fernando Duso (PT), deu continuidade ao andamento dos trabalhos ouvindo sete pessoas que foram convidadas a depor.

Foto: CMFI
Comissão se reuniu na manhã desta sexta-feira, 22, para ouvir novos depoimentos

A primeira depoente, professora Dinorá Moraes Rocha, contou que se sentiu prejudicada em relação à escola na qual trabalhava, em virtude de um conjunto de ações, inclusive o fato de que os alunos fizeram provas em dias diferentes. “A pressão psicológica no ano do IDEB é muito grande, ninguém quer ficar de fora do ranking”.

A segunda pessoa ouvida pela comissão foi a professora Marli Salete da Costa Silva que disse: “Se o nosso IDEB tivesse sido real não teríamos reprovação no 6° ano, porque o que se aprende não se esquece”, mas ao final do discurso afirmou não ter dados concretos, provas, sobre possíveis irregularidades cometidas durante o processo de aplicação da prova.

Duas profissionais do Núcleo Regional de Educação – Márcia Bertagna e Cristiane Balla- ressaltaram a seriedade do processo. “Nós assinamos um termo de compromisso para executar a prova, é um trabalho que assumimos com ética e compromisso para que tudo transcorra bem”, enfatizou Márcia. Ambas relataram não ter denúncia de nenhuma irregularidade. “Se houvesse alguma denúncia nós saberíamos com certeza”, declarou Cristiane Balla.

Na mesma linha de raciocínio, Maria Justina da Silva, que foi Diretora do Departamento de Educação da gestão passada, foi enfática: “Acredito que o resultado obtido foi consequência de um bom trabalho, os professores foram empenhados e sérios. Não tenho nenhuma dúvida de que o índice seja real”.

A Professora da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Silvana de Souza, questionou o IDEB enquanto índice qualitativo e política educacional para se mensurar a educação, observando como um processo amplo, contínuo, destacando necessidades como a revisão do plano de carreira da classe, a fim de não se ter a defasagem salarial que atualmente existe. “O IDEB é um problema, ele desvincula fatores essenciais para se analisar a educação. Aliar uma premiação isolada a ele é um erro, pensar em educação como mercadoria é um equívoco”.

A última declarante foi a professora da rede estadual – Maria Bernadete Gruhn, também ex-secretária da Educação do Município, que afirmou não ser contra e nem a favor do IDEB. “A educação é um contexto maior, que precisa ser resolvido em vários aspectos. Sou da opinião que o Professor deve ser muito bem remunerado e não acredito em situações momentâneas de promoção”, finalizou.

Os Vereadores se reúnem na próxima quarta (27) para definir quais serão os próximos passos da CE.
 

Recomendado para você

Anúncio

Rodízio de massas - Noite Italiana

Anúncio

Anúncio

Assine

Categorias

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Anúncio da revista D!VA
Logo do ClickFoz