contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Deficiente visual luta Jiu-jitsu em Foz do Iguaçu e vira exemplo para colegas Em menos de um ano praticando a modalidade, Cleiton Boaventura já coleciona várias medalhas

Em menos de um ano praticando a modalidade, Cleiton Boaventura já coleciona várias medalhas


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

Você já conheceu alguém que com apenas 26 dias de treinamentos conquistou uma medalha Panamericana?

Bom, eu tive o prazer de conhecer na noite da última terça-feira, 29.

Assim que me aproximei de Cleiton José Boaventura de 32 anos, pude perceber o quão especial ele é.
 

Foto: Lauane de Melo – Clickfoz
Cleiton disputa campeonatos contra adversários que enxergam e já conquistou várias medalhas

E não falo isso porque ele é deficiente visual. Eu digo, porque aquele sorriso fez com que eu me esquecesse de todos os problemas aos quais um dia, eu tive coragem de me queixar.

Cleiton é lutador de Jiu-jitsu há apenas 7 meses, mas, já é um grande campeão, tanto nos tatames, quanto fora deles. Aos 13 anos, o rapaz sofreu um acidente de carro e aos 15, devido a um deslocamento de retina, acabou perdendo a visão.

Foto: Lauane de Melo – Clickfoz
O lutador treina com todos os colegas normalmente

 
Hoje, apesar do pouco tempo de prática de jiu-jitsu, no peito o atleta já carrega várias lembranças de suas conquistas dentro do esporte.

Com apenas quatro dias praticando a modalidade, por exemplo, o lutador ganhou o seu primeiro xodó: uma medalha de ouro em um campeonato interno da academia.

O mais incrível nesta história é que em quase todas as suas conquistas, o atleta enfrentou adversários que enxergam e mesmo assim venceu. “Considero o jiu-jitsu como uma profissão, ele mudou a minha vida”, disse Cleiton todo orgulhoso.

Durante os treinos, ele é um aluno como qualquer outro, não tem tratamento diferenciado. Dedicado, o atleta desenvolveu uma técnica para assimilar os ensinamentos. “O professor sempre me usa de “cobaia” para demonstrar o exercício aos colegas. Como estou fazendo o movimento, acabo memorizando-o. Mas, tenho um segredinho. A minha audição mais aguçada ajuda muito”, explica Cleiton.

 

Foto: Lauane de Melo – Clickfoz
Aqui, o professor Pablo passa as instruções dos golpes para Cleiton memorizar

 
O professor Pablo Anastácio, é o grande responsável pela nova vida do amigo. Os dois se conhecem a mais de 20 anos e Pablo acompanhou de perto todas as dificuldades enfrentadas pelo aluno prodígio. “Antigamente, ele vivia triste e sozinho. Cansei de vê-lo assim e por isso decidi convidá-lo para treinar. Hoje, ele é outra pessoa”, diz o professor.

Para se dedicar exclusivamente ao esporte, Cleiton conta com auxílio de alguns amigos e empresários que o ajudam a manter as despesas mensais. João Flávio Ritchie é um dos padrinhos. “Eu sempre me espelhei nele para treinar. A gente acaba percebendo que o problema dos outros são sempre maiores do que os nossos. Depois que eu o conheci, pensei que de alguma maneira poderia ajudá-lo. Aí conversei com outros amigos e hoje nós conseguimos proporcionar uma melhor qualidade de vida a ele”, diz João.

Na segunda quinzena deste mês, Cleiton já tem compromisso marcado. O lutador irá disputar o Brasileiro da modalidade em São Paulo e promete fazer bonito por lá. “Espero conquistar mais uma medalha para Foz do Iguaçu”, diz o rapaz. “Com ou sem vitória, ele é um exemplo com certeza”, finaliza o professor.
 


 

 

 

 

    Lauane de Melo é repórter do Clickfoz e editora

    de imagens da Rede Massa. Para interagir com a 

    jornalista, siga ela no Twitter e no Facebook.

 

 
 
 

 

Recomendado para você

Anúncio

Promoção natal ACIFI

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Categorias

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Assine

Logo do ClickFoz