por:Bruno Zanette - Click Foz do Iguaçu  Segunda, 26/10/2009 - 11h19 - Atualizado Sexta, 14/05/2010 - 13h53

ONG de Foz do Iguaçu cuida de cães e gatos abandonados

Batizada de Vida Animal, entidade recolhe animais abandonados e os coloca para adoção

Noticias de Foz do Iguaçu: Foz do Iguaçu, PR

Os maus tratos aos animais, em especial cães e gatos, infelizmente acontecem em grande escala em todo o planeta. Por outro lado, existem pessoas interessadas em conter esse avanço de maldade contra os indefesos bichos.

Em Foz do Iguaçu a ONG Vida Animal, situada em uma chácara alugada no bairro Porto Belo e mantida por voluntários, ajuda nos cuidados e bons tratos de cachorros e gatos da cidade. Criada em 2008 e oficializada em janeiro de 2009, ao todo já foram tratados mais de 600 animais de estimação, com os mais diversos tipos de problemas que se possa imaginar. A maioria dos bichinhos de estimação são recolhidos da rua, abandonados por donos que não tiveram a coragem de cuidar corretamente, ou que tiveram descuido e deixaram o animal fugir, não indo atrás para tentar recuperar.

ONG - A instituição começou com um pequeno número de voluntários, com todos tendo a paixão pelos animais em comum. Por enquanto, a ONG não recebe nenhum tipo de ajuda ou doação financeira, embora alguns veterinários voluntários prestam serviços aos animais gratuitamente e fornecem alguns medicamentos a preços reduzidos. Tudo que é gasto para a continuação deste trabalho, é pago pelo próprio bolso dos voluntários. Gasto este que não é pouco.

De acordo com Noeli Passini, presidente da ONG Vida Animal, o valor mensal investido na ajuda aos animais fica em torno de R$ 5,5 mil a R$ 6 mil. Por isso estão aceitando qualquer tipo de doação. As pessoas interessadas em ajudar podem contribuir com depósitos em dinheiro na Caixa Econômica Federal, na conta da Associação Internacional Vida Animal (CNPJ 10.615.541/0001-88, agência 2540, Cód. 003, nº da conta 1326-5); também pode ser feita doação de ração, materiais de construção para ampliar os canis e gatis do local, ou ainda a pessoa pode apadrinhar um animal e ajudar a mantê-lo com ração, remédios (quando necessário), produtos de limpeza entre outras contribuições. O telefone de contato é (45) 3027-7936.

Alimentar todos esses animais não é fácil. Por mês, a ONG Vida Animal gasta em média 1.500 Kg de ração. Como alguns animais chegaram acostumados a comerem apenas comida normal, também é gasto de cinco a 10 Kg de arroz por dia. Ainda há o pagamento de um funcionário – o caseiro que toma conta da chácara na entidade -, é pago o aluguel, luz e não há nenhuma ajuda de Governo.

Local – O acesso até a ONG Vida Animal não é fácil. Localizada em uma área rural de Foz do Iguaçu, no bairro Porto Belo, logo na entrada é possível ver dois leões, feitos em gesso, sentados em cada um dos pilares do portão. É preciso deixar o carro antes de atravessar uma pequena ponte, pois a estrutura de madeira, bastante gasta, dificilmente aguentaria o peso do veículo.

 
Cachorros costumam chegar debilitados e abaixo do peso à ONG Vida Animal

Caminhando por alguns metros é possível avistar alguns canis, próximos de uma pequena casa de madeira. A recepção não ficou apenas por conta da presidente Noeli. Quem também fez questão de receber a visita da equipe de reportagem do Click Foz do Iguaçu foi a mascote da entidade, Minhoca, uma cadelinha muito simpática e carinhosa.

Como era de se esperar, ao caminhar para conhecer o estabelecimento, os cachorros estranhando a presença da equipe, começaram a latir, todos ao mesmo tempo. Mais de cem cachorros latindo, dificultando ouvir qualquer outro som. Os gatos, mais tranquilos, descansavam e apenas observavam a cena.

Até para os menos sentimentais, algumas imagens dos cachorros comoveriam.  Como é o caso da cadela Princesa, uma mistura de Pastor Alemão com outra raça. Quando chegou à ONG quase precisou ser sacrificada, no entanto, graças aos cuidados dos voluntários, conseguiu ser salva. Porém, perdeu o movimento das patas traseiras. Ela necessitará de uma cadeira de rodas especial, adaptada para ela. e que já foi solicitada. Outras histórias também emocionam Noeli. “Certa vez uma cadela, que lutamos muito para tentar salvar, acabou não resistindo aos graves ferimentos, e faleceu nos braços de um de meus filhos”, disse, no momento em que começa a chorar, interrompendo a entrevista.

Projeto necessário – A iniciativa para cuidar desses animais sempre será válida. E com a ajuda de mais voluntários, o trabalho facilitará bastante. Por isso Noeli faz um apelo aos leitores desta matéria. “Peço às pessoas que puderem ajudar, contribuir, que façam uma campanha entre os vizinhos, juntando R$ 1 cada um, é possível ter uma grande ajuda”, pediu.

Para quem quiser adotar um cachorro ou gato, é importante saber que terá que passar por uma entrevista com os membros da ONG, para saber se tem realmente capacidade e interesse de cuidar de uma vida animal. A pessoa passará alguns dias com o animal em casa, até se acostumar, podendo então, preencher todos os documentos necessários para adoção.

Maus tratos é crime – Segundo a Lei 9.605, art. 32, maus tratos contra animais domésticos é crime, e sua pena varia de três meses a um ano de prisão. É considerado maus tratos a prática de abuso, ferir ou mutilar animais, e também praticar experiência dolorosa ou cruel em animais vivos, mesmo esta sendo para descobrimentos científicos.

Noeli reforça ainda outros tipos de maus tratos, como deixar o animal doente em casa e demorar a tratar, não dar comida ao animal, negar carinho e atenção, entre outros. E qualquer caso como esse, pode ser denunciado diretamente à Delegacia de Polícia, a qual tomará as devidas providências. O objetivo é diminuir o número de casos, até porque, lamentavelmente acabar com eles, é quase impossível.

 

 por:Bruno Zanette - Click Foz do Iguaçu  Segunda, 26/10/2009 - 11h19 - Atualizado Sexta, 14/05/2010 - 13h53
publicidade

publicidade