contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Hospital Municipal faz 9ª captação de órgãos de 2016 Procedimento aconteceu na madrugada desta quarta-feira, 27

Procedimento aconteceu na madrugada desta quarta-feira, 27


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

Na madrugada dessa quarta-feira, 27, a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital Municipal de Foz do Iguaçu, coordenou a nona captação de órgãos do ano.

A captação foi feita após autorização da família de uma jovem de 18 anos, Jennifer Casandra Rodrigues, vítima de acidente de trânsito, na saída de Medianeira para Serranópolis do Iguaçu,na madrugada do último sábado, 23.

A morte encefálica da paciente foi confirmada através de exames realizados seguindo rigorosamente todos os itens descritos no protocolo específico.

ACIHDOTT realizou a abordagem junto à família para a doação, que num gesto nobre e fraterno consentiu, dando assim um “sim” à vida de outras pessoas que estão à espera de um transplante. Além do coração e pulmões, foram retirados o fígado, rins e globo ocular. A retirada dos órgãos durou mais de três horas, pois o procedimento é minucioso.

A gerente da Unidade de Terapia Intensiva – UTI e secretária da CIHDOTT, Karin Aline Zilli Couto, disse que a captação começou pelo coração, que é o procedimento mais delicado, onde tudo precisa ser bem sincronizado. “O coração tem apenas quatro horas para ser transplantado. O tempo máximo de preservação do pulmão varia entre quatro a seis horas”, relata a enfermeira.

Karin prossegue dizendo que “o empenho e dedicação dos profissionais multidisciplinares, vale cada minuto do trabalho exaustivo dentro de uma Unidade de Terapia Intensiva”. 

O coração e pulmões captados foram transportados pelo avião da FAB, rumo ao Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul. Já os rins e fígado seriam levados para Curitiba. A captação de córneas foi realizada pela equipe de Enfermagem do HMFI, responsável pela Enucleação de Córneas.

Ainda segundo a gerente da UTI, uma das dificuldades encontradas pela CIHDOTT, se dá ao explicar para os familiares sobre a morte encefálica. “Eles observam o paciente respirando e, muitas vezes, se negam a acreditar que não há mais possibilidades de sobrevivência”. Karin explica que a morte encefálica se constitui na interrupção completa e irreversível das atividades do cérebro. “Após o diagnóstico de morte encefálica, como resultado de um traumatismo craniano, tumor, derrame, entre outros problemas, o sangue que vem do corpo e supre o cérebro é bloqueado e o cérebro morre”, explica.

Para ser um Doador – O passo principal para se tornar um doador é conversar com a sua família e deixar bem claro o desejo. Não é necessário deixar nada por escrito. A doação de órgãos pode ocorrer a partir do momento da constatação da morte encefálica. Em alguns casos, a doação em vida também pode ser realizada, em caso de parentesco até 4º grau ou com autorização judicial (não parentes).

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Parceria

Categorias

Anúncio

Rodízio de massas - Noite Italiana
Logo do ClickFoz