contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Itaipu desenvolverá protótipo de bateria de lítio nacional Acordo foi assinado nesta quinta-feira, 28, no PTI

Acordo foi assinado nesta quinta-feira, 28, no PTI


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

Em apenas dois anos, o Brasil já terá condições de produzir a primeira bateria de íons de lítio com tecnologia nacional. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 28, em Foz do Iguaçu (PR), pela diretora financeira executiva de Itaipu, Margaret Groff, durante a assinatura de um acordo de cooperação global entre a Itaipu Binacional, Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) e a empresa inglesa Mira Limited, uma das mais importantes consultorias mundiais do ramo de pesquisa de veículos híbridos e elétricos.

Também participaram da cerimônia, no Edifício das Águas, na usina, o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, o diretor-geral da Mira do Brasil, Armando Canales, e o diretor-superintendente da FPTI, Juan Carlos Sotuyo. 
 

Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional
O diretor de Itaipu do lado brasileiro, Jorge Samek, visitou as instalações no PTI

 

A parceria tem como objetivo final a instalação, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), de um centro de excelência para pesquisa de bateria de lítio, inédito no Brasil. Inicialmente, já a partir da assinatura, nos primeiros três meses, serão feitos estudos de prospecção junto à indústria nacional, para definição do modelo de bateria que será adotado.

Produção em escala pela indústria – Escolhido o modelo, a parceria desenvolverá o primeiro protótipo, que poderá ser levado para produção em escala pela indústria nacional. “Hoje a bateria de lítio é usada principalmente em veículos e nas telecomunicações. Queremos desenvolver aqui no PTI uma bateria escalável, que poderá ser utilizada tanto em veículos elétricos como em sistemas de armazenamento de energia”, antecipou Margaret Groff. 

Outra proposta é criar no país uma rede de serviços de alta complexidade na área de bateria. “Porque hoje, se você compra uma bateria [de lítio] no exterior, muitas vezes tem que mandar esse produto para fazer manutenção fora do Brasil. Queremos prestar esses serviços aqui, e não no exterior”, reforçou.

Outros modelos já em andamento – A diretora financeira lembrou ainda que Itaipu já desenvolve estudos com outros modelos de bateria – como as de sódio e de chumbo-ácido, também para aplicação em veículos elétricos e em sistemas de armazenamento. “Agora, com a bateria de lítio, estamos escalando alguns degraus nesse desenvolvimento tecnológico.”

Pioneirismo permitiu parceria – Para Armando Canales, a aproximação da Mira com Itaipu foi natural. “Achamos que trabalhar em conjunto com Itaipu e o PTI, que são pioneiros no Brasil no desenvolvimento de veículos elétricos e híbridos, e também na área de armazenamento de energia, representa o perfeito casamento de competências para a criação desse centro de excelências”.

Jorge Samek disse que essa parceria representa um passo importante para a região, que está se tornando um celeiro de tecnologia com gente capacitada em todas áreas “Isso comprova que os recentes investimentos no Oeste do Paraná, especialmente em universidades e centros de pesquisa, já começam a apresentar resultados importantes”, afirmou. Segundo ele, a parceria com a Mira, uma gigante da tecnologia, faz parte desse processo. “Se o mundo é global, nossa cabeça também tem que ser global”, comentou.

Pesquisas de Itaipu – Há mais de um ano, Itaipu desenvolve o Programa de Mobilidade Inteligente (Mob-i). Além de carros elétricos (28 no total, em Curitiba, Brasília e Foz do Iguaçu), o Mob-i conta com postos para abastecimento (os eletropostos) e utiliza a plataforma Mobi.me, aplicativo que fornece em tempo real indicadores como o dinheiro poupado em abastecimento, o CO2 que deixou de ser emitido na atmosfera e o número de quilômetros rodados.

Desde 2006, a empresa também lidera, em parceria com várias companhias do Brasil e do exterior, o Programa Veículo Elétrico (VE).  Neste período, já montou mais de 80 protótipos elétricos, a metade incorporada à própria frota e o restante destinado para os parceiros do programa. 

As linhas do VE incluem carros de passeio, caminhão, utilitário, ônibus e até um avião, todos equipados com motor elétrico. 

A empresa ainda mantém uma oficina para montagem dos compactos elétricos modelo Twizy, em parceria com a Renault, e trabalha no projeto da bateria de sódio nacional, com recursos da Finep e parceria com o Parque Tecnológico Itaipu (PTI). Outro projeto é na área de armazenamento de energia, em conjunto com o Exército brasileiro.

Mira – A Mira foi criada pelo governo britânico em 1946 para ser referência na área de pesquisa e desenvolvimento de sistemas para veículos e atua como uma empresa privada sem fins lucrativos desde 1976. Ela desenvolve trens de força (motor e transmissão), sistemas de baterias e faz a integração de sistemas em veículos híbridos e elétricos, contando com uma das mais modernas pistas de testes do mundo e laboratórios avançados.

A empresa tem participação em mais de 18 projetos de veículos híbridos e elétricos e conta, entre seus clientes, com os principais players do setor. A Mira é responsável, entre outras iniciativas, pelos veículos não tripulados – dirigidos somente por câmaras e sensores – que estão circulando no Reino Unido este ano, em caráter experimental.

 

 

Recomendado para você

Anúncio

Rodízio de massas - Noite Italiana

Anúncio

Anúncio

Assine

Categorias

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Anúncio da revista D!VA
Logo do ClickFoz