contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Itaipu reforça segurança para coibir pesca clandestina No total, 14 pescadores foram detidos pela segurança. A pesca nesta época do ano é proibida por causa da piracema

No total, 14 pescadores foram detidos pela segurança. A pesca nesta época do ano é proibida por causa da piracema


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

 
A Itaipu reforçou a segurança para coibir a pesca irregular na área da usina, especialmente no Canal da Piracema, entre a foz do Rio Bela Vista e a área de Ictiologia, na região do Refúgio Biológico Bela Vista. Do começo do ano até esta quinta-feira, 04, foram apanhados em flagrante no local 14 pescadores clandestinos, 12 deles em janeiro e os outros dois na última quarta-feira, 03. Foram registradas, ainda, 167 ocorrências de apreensão de material de pesca, como linhas, anzóis e redes.

O reforço foi feito por meio de convênio com as polícias Militar Ambiental e Federal, não só na área interna da usina, mas também em toda a extensão do reservatório, de Foz do Iguaçu até Guaíra. O resultado prático é um maior número de patrulhas, principalmente à noite, quando aumenta o número de infrações.

Nos últimos dois anos, essas ocorrências não vinham sendo registradas na região do Refúgio porque o Canal da Piracema estava seco. Com a normalização do nível da água, os pescadores clandestinos voltaram a atuar na região.

Defeso – O período de defeso – ou piracema, época de reprodução dos peixes e de restrição à pesca profissional e amadora de espécies nativas – nos rios e lagos do Paraná começou no dia 1º de novembro e prossegue até o próximo 29. A medida é adotada para garantir a desova e a reprodução dos peixes.

A restrição é instruída pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Ibama), por meio da Instrução Normativa nº 25/2009, e reforçada no estado pela portaria nº 242/2011, do Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Entre as espécies protegidas pela medida estão o bagre, o pintado, o lambari e o jaú. Fica liberada a pesca apenas para as espécies exóticas, como, por exemplo, a carpa, a tilápia, o tucunaré e o apaiari.

Infrações – Tanto para a pesca amadora como para a profissional embarcada ou desembarcada é necessária autorização emitida pelos órgãos federais. Caso contrário, é considerado crime ambiental. A pesca clandestina pode dar bastante trabalho para quem for flagrado, com pagamento de multa e até prisão. O valor pode chegar a cerca de R$ 700 por pescador e mais de R$ 20 por quilo de peixe capturado.

Na usina – É proibido pescar na usina em qualquer época do ano, especialmente no período do defeso, alerta a Segurança Empresarial da Itaipu, que encaminha as ocorrências para os órgãos competentes.

Se o pescador for pego na área da usina, mas sem material de pesca, é liberado e colocado para fora. Se estiver portando material de pesca e peixes, a fiscalização aciona a Polícia Militar Ambiental. O pescador é então encaminhado para a Polícia Federal, onde é estabelecida uma fiança de soltura. Por último, se o pescador for flagrado com material de pesca, mas sem o resultado da pescaria, ele tem que assinar um termo circunstanciado para então ser liberado.

 

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Categorias

Assine

Logo do ClickFoz