Empresas parceiras

Igushuttle - Destino Iguassu - Passaporte Iguassu - IguFoz - Loumar Turismo
Noite Italiana - Hotel Bella Italia - Águas do Iguaçu Hotel - Bogari Hotel - Iguassu City Tour

contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Meninos do Lago ocupam metade das vagas da Seleção Brasileira de Canoagem Slalom Com a convocação, jovens passam a ter o dobro do valor que ganham hoje com o bolsa-atleta

Com a convocação, jovens passam a ter o dobro do valor que ganham hoje com o bolsa-atleta


Por: Leca

Publicado em:

Metade das vagas da Seleção Brasileira de Canoagem Slalom, montada com vistas à Olimpíada de 2016, foi ocupada por atletas do Instituto Meninos do Lago (Imel), que está mudando a vida de jovens e crianças de famílias de baixa renda de Foz do Iguaçu.
  
Dos 16 atletas da Equipe Permanente de Canoagem Slalom, oito são vinculados ao Imel, que mantém projeto social e desportivo em parceria com a Itaipu Binacional, Federação Paranaense de Canoagem (Fepacan) e Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa).

Com a convocação, os jovens passam a ter aporte financeiro – o dobro do valor que ganham hoje com o bolsa-atleta – e ficam concentrados no Centro de Treinamento, em Foz do Iguaçu. No local, criado com suporte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), eles conviverão com atletas como Ana Sátila, 16ª colocada nos Jogos Olímpicos em Londres. A jovem integra a seleção, que treina no Canal Itaipu – construído dentro da hidrelétrica.
 

Foto: Divulgação
Os gêmeos Wallan (sentado) e Weltton (em pé) são os mais novos convocados da Seleção Brasileira de Canoagem, e chegaram ao esporte pelo projeto social Meninos do Lago.

Nova fase

“É uma nova fase para nossas vidas”, disse, animado, o jovem Weltton Pietro de Carvalho, de 15 anos, há quatro no Meninos do Lago. Ele e seu irmão gêmeo, Wallan Patrick de Carvalho, são os convocados mais recentes da equipe permanente. Ganharam não só as vagas deixadas por outra dupla, mas também uma renda mensal de quase R$ 3 mil, somadas as de ambos, fruto das bolsas que passam a acumular. “Antes do Meninos do Lago nunca tínhamos ouvido falar de canoagem”, afirmou Weltton. “Agora vivemos para o esporte”, completou Wallan.
 
Bons alunos na sala de aula – com notas médias na ordem de 9,0 –, e nas águas – eles são terceiro no ranking nacional em sua categoria –, os jovens pretendem atingir desempenho semelhante ao dos gêmeos eslovacos Pavol e Peter Hochschorner (lê-se roquescorner), tricampeões olímpicos de canoagem slalom.

Incentivo não falta: filhos de uma dona de casa e de um comerciário, eles já são os ídolos da família, que conta ainda com outro canoísta, Wallison Diego de Carvalho, 17 anos. “Sei que não é fácil chegar onde eles estão, é uma conquista difícil”, disse o primogênito dos Carvalho, não convocado para a equipe permanente. “O Wallison torce mais pelos irmãos do que por ele mesmo”, completou a mãe dos atletas, Lenir Pavan.
 

Foto: Divulgação
João Vítor Machado é veterano no Meninos do Lago. Meta agora é representar bem o Brasil na Olimpíada em 2016.

 
Veteranos

Criado em 2009, o projeto Meninos do Lago atende a cem crianças dos bairros Vila C e Morumbi, com idade entre 7 e 18 anos, estudantes da rede pública de ensino. A iniciativa está vinculada ao instituto homônimo e à Fepacan, mas o treinamento de jovens atletas em Itaipu ocorre desde 2006, via CBCa.
 
Na Itaipu, o projeto é ligado ao Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), vinculado à Diretoria Geral Brasileira. Desde 2009, 389 atletas passaram pelo Meninos do Lago.

“No primeiro momento, o projeto teve a proposta de tirar os adolescentes da situação de vulnerabilidade social, mas o alcance foi surpreendente. Além do efeito imediato, tivemos a melhora do desempenho escolar, das relações sociais dos adolescentes e o resultado no campo do desporto”, disse Joel de Lima, assistente do diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek.
 
“Esse conjunto tornou o projeto referência no País e abriu novos horizontes para esses meninos e meninas, que têm a chance de enxergar o mundo de uma nova perspectiva”, concluiu Joel.

Foto: Divulgação
Atletas da Seleção Brasileira em 2012, no Parque da Piracema, com o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek (ao centro). Hidrelétrica deu condições para o desenvolvimento da canoagem do País.

 

Em menos de sete anos, o Meninos do Lago projetou campeões internacionais, como Leonardo Lucas Curcel – que começou o projeto social, em 2009, – e João Vítor Machado, atleta veterano do Imel, ambos integrantes da Seleção Brasileira. Juntos, eles somam diversos títulos como campeões sul-americano e pan-americano.
 
“Estou no Meninos do Lago desde o início e pude ver toda a evolução dos atletas que hoje estão entre os primeiros do ranking nacional. Hoje, o projeto serve de espelho para as demais associações do Brasil”, afirmou Machado. “Nestes últimos anos vi como um projeto de qualidade e com pessoas que trabalham com seriedade tornou possível levar atletas à final de um mundial”, completou.

Do time dos veteranos do Meninos do Lago convocados para a Seleção Brasileira estão ainda Fábio Scchena Dias Rodrigues, que divide a categoria K1 (caiaque com um atleta) masculino sênior com João Vítor; e Felipe Borges da Silva, na C1 (canoa com um atleta) masculino sênior, a mesma categoria de Leonardo Curcell. Completam a equipe Maicon Henrique Borba e Carlos Eduardo Morais da Silva, ambos da categoria C2 (canoa com dois atletas) masculino júnior, a mesma dos irmãos gêmeos Carvalho.

 

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Categorias

Assine

Logo do ClickFoz