contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Peças da Petrobras vão atravessar o reservatório na segunda-feira, 12 Viagem de 750 quilômetros está programada para as 10 horas

Viagem de 750 quilômetros está programada para as 10 horas


Por: Leca

Publicado em:

O reator de amônia, a terceira e maior peça de um conjunto de 13 unidades que a Petrobras está implantando numa fábrica de fertilizantes no Mato Grosso do Sul (MS), deve chegar nesta quinta-feira (8) ao atracadouro da prainha de Três Lagoas, em Foz do Iguaçu.

Foto: JIE
Desembarque da maior peça do conjunto, o reator de amônia, no domingo (4), em Foz do Iguaçu.

 

O transbordo do equipamento para o destino final pelo reservatório de Itaipu só começa a ser feito na segunda-feira (12). A viagem via fluvial está programada para as 10h. As balsas com as peças vão percorrer 750 quilômetros até chegar a Três Lagoas (MS). A travessia deve levar oito dias.
 
Outras duas peças do mesmo conjunto – um reator de ureia e um condensador, devem chegar neste final de semana à usina. A Petrobras está usando a área de Itaipu, o reservatório e o Rio Paraná para a travessia desses equipamentos.

Foto: JIE
Nesta quarta (7), na entrada da Avenida Tarquínio Joslin, o reator de amônia enroscou em um fio de telefone, fazendo o poste pender. Em poucos minutos, no entanto, uma equipe da Copel chegou para substituir o poste.

 

A maior peça de todo o conjunto – o reator de amônia – chegou a Foz do Iguaçu no domingo (4). Depois de aguardar provisoriamente em uma área do bairro Porto Belo, a peça foi transportada à prainha de Três Lagoas, local do embarque para o destino final, nessa quarta-feira (7).
  
Fabricado na China, o reator de amônia pesa 761 toneladas, tem 6,40 metros de altura e quase 40 metros de comprimento. A peça gigantesca tem mais do que o dobro do peso do maior equipamento instalado na usina de Itaipu, que é o rotor da turbina, com 290 toneladas.
  
Procedente do porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul (RS), o reator vem seguindo o mesmo caminho das peças anteriores trazidas pela Petrobras. Foram transportadas uma chiler de amônia, de 320 toneladas, e uma caixa de purificador, com 173 toneladas. Todas chegaram à usina por via fluvial, desde Mar del Plata, na Argentina.

Foto: JIE
As curvas são os pontos críticos do transporte das peças na área urbana de Foz do Iguaçu.

O reator de ureia, que está para chegar, tem 27 metros de comprimento, 4,2 de largura, 5,2 metros de altura e pesa 370 toneladas. Já o condensador tem 19 metros de comprimento, 4,3 metros de largura, 5,2 metros de altura e pesa 375 toneladas. Outros detalhes do comboio ainda não foram divulgados.
 
Deslocamento em Foz
  
Uma megaoperação, envolvendo a Polícia Rodoviária Federal e o Corpo de Bombeiros, foi montada para o transporte das peças, em Foz do Iguaçu, para vencer o desnível de 120 metros entre o Rio Paraná e o reservatório da Itaipu. O trabalho está recebendo o apoio da binacional.
  
No deslocamento do ponto de desembarque, no Porto Belo, até o terminal de embarque de Três Lagoas, no reservatório, fios de alta tensão precisam ser desligados. Por onde passa, o carregamento das peças chama a atenção. O trânsito ficou mais lento em alguns locais, mas nenhum incidente grave foi registrado.

Foto: JIE
O reator de amônia pesa 761 toneladas e tem quase 40 metros de comprimento.

Recomendado para você

Anúncio

Rodízio de massas - Noite Italiana

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Categorias

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Assine

Logo do ClickFoz