contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Problemas de escritura e infraestrutura urbana tornam-se recorrentes nas oitivas com moradores Os vereadores Nilton Bobato, Hermógenes de Oliveira e Darci DRM ouviram mais quatro depoentes nesta manhã (11)

Os vereadores Nilton Bobato, Hermógenes de Oliveira e Darci DRM ouviram mais quatro depoentes nesta manhã (11)


Por:

Publicado em:

 

A Comissão de Inquérito que investiga os loteamentos irregulares de Foz do Iguaçu realizou nesta quarta-feira (11) a sétima reunião para ouvir o depoimento de moradores dos Loteamentos: Três Pinheiros; Conjunto Residencial Veraneio; Jardim Evangélico e Universitário I.

 

Foto: Assessoria
Comissão de Inquérito dos Loteamentos realizou a sétima reunião na manhã desta quarta-feira (11)

 

A primeira depoente, Walkiria Vargas, que mora há 18 anos no local, afirmou que comprou o terreno da loteadora Três Pinheiros, que tinha sede no próprio loteamento e depois fechou. Com o fechamento, os moradores receberam a informação que o pagamento deveria ser feito para a Justiça Federal.

A partir disso, a CI vai requerer da Justiça Federal infomações quanto a esse processo, mais especificamente se existiu alguma determinação judicial para o pagamento passar a ser feito para o judiciário. “A Sanepar fez esgoto, nós temos iluminação pública e eu pago IPTU desde 2002, sendo que depois de um tempo a cobrança começou a vir descrita como Taxa de Limpeza Pavimentada, mas a minha rua não tem calçamento”, enfatizou. Os moradores do Loteamento Três pinheiros não conseguem a escritura dos imóveis, devido ao fato de assim como vários bairros investigados estarem hipotecados.

Adauto Antunes de Souza, morador do Conjunto Residencial Veraneio, relatou que comprou o terreno da loteadora InvestFoz e depois de um tempo os moradores deixaram de pagar, porque a loteadora havia dito que posteriormente faria obras de infraestrutura, o que não aconteceu. Por esse motivo e também pelo fato do loteamento estar penhorado, as pessoas não conseguem a escritura dos imóveis. Mas, Adauto afirmou que uma empresa que faz manutenção de barcos se instalou em uma quadra do bairro e já possui a escritura da área. O loteamento residencial, que contava com oito quadras agora tem sete, devido à área ocupada pela empresa.

Por fim, os vereadores tomaram o depoimento de Gorete Aparecida, moradora do Jardim Evangélico, e Maria dos Santos, do Universitário I (loteamentos vizinhos). Ambas destacaram os alagamentos como o principal problema da região, bem como a falta de rede de esgoto. Diferente dos outros bairros citados acima, tanto no Jardim Evangélico, como no Universitário os moradores possuem escritura dos imóveis.

O vereador Nilton Bobato, Presidente da CI, ressaltou que no decreto da Prefeitura que aprovou os dois loteamentos, exigia a construção de galerias pluviais em todas as ruas, o que não existe até hoje. O dois loteamentos foram feitos em área de nascente e com as chuvas intensas, o calçamento já está deteriorado. A ação da Comissão no tocante às duas áreas será de cobrar da Prefeitura que a infraestrutura necessária para amenizar os problemas dos moradores seja feita.

Recomendado para você

Anúncio

Promoção natal ACIFI

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Categorias

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Assine

Logo do ClickFoz