contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Técnicos esclarecem dúvidas sobre a reforma da Ponte da Amizade Revitalização segue a todo vapor na fronteira entre Foz do Iguaçu e Cidade do Leste

Revitalização segue a todo vapor na fronteira entre Foz do Iguaçu e Cidade do Leste


Por: Lauane de Melo

Publicado em:

Durante a primeira semana de reforma da Ponte da Amizade foram apresentadas sugestões para diminuir o impacto da obra na fronteira. Parte das propostas já foi acatada e outra parte está em análise para definir a sua viabilidade. Mas algumas ideias foram desaprovadas por motivos técnicos. 

Foto: Assessoria
Revitalização na Ponte da Amizade continua com forte maquinário

A Câmara Técnica de Segurança do Codefoz (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu) consultou os órgãos competentes sobre as perguntas frequentes feitas por diferentes setores da comunidade. De forma resumida, a CT divulga as respostas sobre os principais pedidos inviáveis. 

A reforma pode ser feita à noite?

O consórcio CSO-Gaissler esclarece que o serviço não é realizado à noite porque o limitante de prazo não é a demolição, e sim o concreto –que depende de um período de cura de 28 dias por norma da ABNT. Assim, trabalhar à noite não adiantaria a obra, pois o prazo para cura do concreto seria o mesmo.

Além disso, a passagem de caminhões durante a noite provoca uma vibração excessiva que prejudicaria a integridade do concreto. “Portanto, não é recomendável executar uma concretagem num período em que transitam os caminhões com carga”, explica o engenheiro Luiz Matsumoto Vargas. 

Há poucos operários na pista?

Vargas responde ainda à crítica sobre o número de operários na obra. A empresa optou pela utilização de equipamentos disponíveis e adequados e com produtividade equivalente à de vários trabalhadores para minimizar o impacto causado na estrutura da Ponte da Amizade e aos usuários.

É possível paralisar a obra?

O consórcio CSO-Gaissler esclarece que o concreto da Ponte da Amizade já foi demolido no sentido Brasil-Paraguai. Suspender o serviço neste momento está fora de cogitação, pois essa faixa da pista só poderá ser usada novamente depois de feita a nova pavimentação, ou seja, após os 28 dias necessário para a cura do concreto. Não há como os veículos passarem pela pista esburacada.

A travessia por balsa é viável?

A Receita Federal alertou para a dificuldade de fazer travessia de automóveis e caminhões por balsa no Rio Paraná. Seria necessária a construção de uma estrutura física com espaço suficiente para a atuação de pelo menos cinco órgãos federais, para que seja possível a entrada e saída de veículos e pessoas como determina a lei, além do próprio alfandegamento do local, providência que tem seu trâmite específico. Possivelmente, até que a construção estivesse concluída, as obras de pavimentação estariam próximas do fim.

A ponte suporta via dupla durante a obra?

Em relação à proposta de via dupla Brasil-Paraguai, o engenheiro Luiz Matsumoto Vargas afirma que não existe espaço físico suficiente à implantação de duas faixas de tráfego para garantir a segurança dos usuários e dos trabalhadores.

 

Recomendado para você

Anúncio

Rodízio de massas - Noite Italiana

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Categorias

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Assine

Logo do ClickFoz