Empresas parceiras

Igushuttle - Destino Iguassu - Passaporte Iguassu - IguFoz - Loumar Turismo
Noite Italiana - Hotel Bella Italia - Águas do Iguaçu Hotel - Bogari Hotel - Iguassu City Tour

contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Waldemar Niclevicz atravessa Cataratas do Iguaçu de tirolesa Desafio foi aceito para chamar atenção do público durante os últimos dias da campanha Vote Cataratas

Desafio foi aceito para chamar atenção do público durante os últimos dias da campanha Vote Cataratas


Por: Garon Piceli

Publicado em:

Exatamente às 9h23 da manhã de terça-feira (4), o alpinista brasileiro Waldemar Niclevicz inicia a travessia de tirolesa pelas Cataratas do Iguaçu. Com equipe de apoio nos dois países, Brasil e Argentina, ele enfrentou uma distância de 157 metros, sobre 85 metros de altura levando uma bandeira da campanha Vote Cataratas com duas mini-bandeirinhas dos dois países contemplados pela beleza das quedas.

Durante 30 minutos Niclevicz roubou a cena nas Cataratas e atraiu olhares e lentes para o desafio que deixou a todos emocionados e apreensivos. Ao chegar na metade do percurso ele guardou a bandeira e retornou até o Brasil. A estratégia teve por objetivo facilitar o retorno dele às Cataratas Brasileiras, porque a Argentina não permitiu que fosse usado helicóptero em seu espaço aéreo.

No momento em que Niclevicz estava exatamente no meio das Cataratas do Iguaçu, sobre a maior das quedas, a Garganta do Diabo, os olhos do mundo se voltaram para Foz do Iguaçu. “É importante ressaltar que esta foi uma iniciativa brasileira, os argentinos não quiseram participar. Foi uma ideia brilhante do Comitê Organizador da campanha fazer este apelo ao mundo. Agora eu tenho certeza absoluta que se as Cataratas do Iguaçu não estiverem em primeiro lugar, estarão entre as Sete Maravilhas da Natureza”, afirmou Niclevicz.
 

Veja as fotos


Dificuldade
– “A maior dificuldade foi armar a tirolesa porque os argentinos não nos deixaram usar helicóptero no espaço deles, eu não entendi porque, mas em 2001 quando fizemos este trajeto da primeira vez também foi assim”.

Com a negativa da Argentina para facilitar a montagem da tirolesa, outro mecanismo inusitado teve de ser usado. Um pequeno objeto voador coordenado por controle remoto e com duas câmeras acopladas foi o responsável pela travessia dos cabos de amarração da tirolesa para a margem argentina das Cataratas do Iguaçu.

Apelidado de Avatar, a espécie de helicóptero foi desenvolvida pelo analista de sistemas Arthur Vieira que atendeu prontamente ao pedido. “O Arthur nos auxiliou com este helicóptero de controle remoto, tivemos cuidado porque é um equipamento muito caro, ele se dispôs totalmente em correr o risco de perder o Avatar que custa mais de UU$10 mil. Ele teve muita habilidade para coordenar tudo via controle remoto, o cabo desceu certinho do outro lado para o nosso colega que estava lá fazer a amarração”, conta Niclevicz.

Fotos: Enison da Rocha
Avatar, Arthur Vieira, Irivan Santos, Waldemar Niclevicz e Ermínio Gianatti exibem o objeto voador que foi fundamental para o sucesso da travessia

 

 De acordo com Niclevicz, se a Argentina tivesse permitido o uso de helicóptero, a tirolesa teria sido montada em aproximadamente duas horas. Com o empecilho, o trabalho levou cerca de um dia inteiro para ficar pronto. Foram usadas três cordas de 170 metros cada. “Tem uma técnica para não estourar os pontos de ancoragem, o que nos fez trabalhar com excelência foi a sinergia que a equipe tem por estarmos há muito tempo juntos”, explicou.

Primeira travessia – este percurso de tirolesa já foi feito por Niclevicz em 2001. Na época o desafio foi o mesmo, e para atravessar a corda eles usaram balões. O vice-diretor do Parque Nacional do Iguaçu, Apolonio Rodrigues também se arriscou no trajeto e sentiu a sensação de ser “engolido” pela Garganta do Diabo.

De acordo com Apolonio, esta ação vai dar mais visibilidade à campanha e ele acredita em uma disparada de votos nesta reta final. “Com o título de uma das Sete Maravilha da Natureza nós teremos mais uma certificação importante que vai aumentar o número de visitantes. Este é um título que será aproveitado para sempre e torna as Cataratas do Iguaçu ainda mais atraentes aos olhos do mundo”.

Música – a cidade está empenhada em tornar as Cataratas do Iguaçu uma das Sete Maravilhas do Mundo, prova disso foi o presente que o músico e compositor Claudio Farias deu ao atrativo. Ele fez uma música especialmente para a campanha Vote Cataratas que está disponível no YouTube, confira:
 

 

 A música intitulada Cidadã da Terra homenageia em versos as belezas naturais das Cataratas do Iguaçu: “Conheça minhas águas/ o som da voz que nasce entre as pedras/ (…) Sou Cataratas matas /rio que corre sem fronteira / sou Cidadã da Terra da humanidade inteira/ tão natural a minha grande queda por você, tão natural”

Walder Niclevicz – iguaçuense, formado em Turismo pela Universidade Federal do Paraná, Niclevicz foi o primeiro brasileiro a escalar o Monte Everest, foi também o único brasileiro a escalar o K2, considerada a montanha mais difícil do mundo. Graças a ele, o Brasil foi o primeiro país da América Latina a conquistar a maior torre de granito do mundo, a Tango Tower.

Em 2005, Niclevicz escalou o Everest pela segunda vez, para comemorar os 10 anos da primeira conquista, isso fez dele um dos poucos alpinistas do mundo a escalar a montanha pelos dois lados dela, primeiro pelo Nepal e depois pelo Tibet. Pelo visto, Niclevicz gosta de comemorar a cada dez anos suas grandes conquistas, este foi também um combustível para fazê-lo enfrentar mais uma vez a Garganta do Diabo de tirolesa.

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio da revista D!VA

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Categorias

Assine

Logo do ClickFoz