contato@clickfozdoiguacu.com.br

(45) 3521-4041

Rua Venanti Otremba, 772. Sala 1.

CEP 85852-020 - Foz do Iguaçu

Paraná - Brasil

© Copyright - 2017 Foznet Soluções Digitais - Todos os direitos reservados.

Anúncio

Foz do Iguaçu

Dez nomes que se destacaram no MMA em 2016


Por: Assessoria

Publicado em:

Fonte: Nocaute na rede

Fonte: Nocaute na rede

As listas de “tops” ou “melhores do ano” são sempre alvo de discórdia, ainda mais quando o assunto é o MMA. Foram vários os combates que agradaram aos fãs deste esporte mundo afora e escolher apenas dez dos melhores não é tarefa fácil.

Em 2016, grandes confrontos balançaram o cage do UFC e também de outras competições de MMA no mundo. Nas principais lutas foram confirmados favoritismos, lutadores promissores mostraram talento e, claro, foram defendidos cinturões.

As principais lutas do ano foram marcadas tanto pelo equilíbrio quanto pelas rápidas finalizações e nocautes, que deram ao público a sensação de que novos e inesquecíveis combates marcarão presença nos ringues do UFC em 2017.

Fonte: MMA Junkie

Fonte: MMA Junkie

1 – Amanda Nunes x Ronda Rousey – UFC 207

Abrimos a lista com um cinturão feminino em jogo. Um nocaute espetacular e um fim de hegemonia no UFC 207, disputado a 30 de dezembro em Las Vegas, encerrou o ano com chave de ouro para o MMA brasileiro. Amanda Nunes derrotou Ronda Rousey em 48 segundos e colocou de vez seu nome na história do UFC, continuando detentora do cinturão do peso galo feminino.

Ronda Rousey foi uma das estrelas do MMA mundial até 2015 e procurava recuperar da derrota sofrida para Holly Holm, que acabou com uma invencibilidade de seis anos e 10 lutas. Mas a brasileita Amanda Nunes arruinou seus planos e praticamente anunciou a aposentadoria de Rousey.

A luta representou a primeira defesa de cinturão da baiana de 28 anos, que é detentora do título desde que superou Miesha Tate, no UFC 200, em julho.

Fonte: Low Kick MMA

Fonte: Low Kick MMA

2.  Demetrious Johnson x Henry Cejudo – UFC 197

Em 2016, os favoritos continuaram protagonizando as principais vitórias. O grande campeão do peso mosca, o norte- americano Demetrious Johnson, nocauteou o wrestler e compatriota Henry Cejudo em apenas 2m49s no primeiro round. O combate aconteceu no UFC 197, em Las Vegas.

Depois do feito, Johnson ainda venceria o compatriota Tim Elliot em dezembro. Agora está a apenas uma vitória de igualar o recorde de Anderson Silva quanto a defesas de título (dez no total).

Fonte: MMA Fighting

Fonte: MMA Fighting

3 – Dominick Cruz x TJ Dillashaw – UFC Fight Night

O ano de 2016 começou com o que pareceu ser  uma aula de MMA: o combate UFC Fight Night, realizado em 17 de janeiro. Os atletas, principalmente o desafiante Dominick Cruz, mostraran muita movimentação e wrestling de qualidade. A decisão ficou para os jurados, que deram o título dos galos ao californiano. Com a vitória, Cruz recuperou o cinturão do peso galo e superou uma sequência de lesões graves que o afastou do cage por alguns meses.

No UFC 207, em dezembro, Dominick Cruz acabou perdendo o cinturão para Cody Garbrant. Uma revanche entre ambos está sendo preparada para 2017.

Fonte: Bloddy Elbow

Fonte: Bloddy Elbow

4 – Michael Chandler x Ben Henderson – Bellator 165

Sim, existe vida (e muita luta) fora do UFC!  E isso ficou provado no dia 19 de novembro  em San José, na Califórnia, no Bellator 165.

Com cinco rounds, a luta teve de tudo um pouco, e quem acabou vitorioso foi o norte-americano Michael Chandler ao derrotar o seu compatriota Benson Henderson por decisão dividida. Em luta muito parelha, com golpes plásticos e combate franco, Chandler encantou o público com um incrível suplê logo no primeiro round. Garantiu a vitória por pontos, defendendo o cinturão dos pesos leves da organização.

Fonte: Bloddy Elbow

Fonte: Bloddy Elbow

5 – Nate Diaz x Conor McGregor – UFC 196

A noite de 7 de março de 2016 não foi das melhores para um dos maiores falastrões da história do MMA mundial: o irlandês Conor McGregor, que não perdia uma luta desde novembro de 2010.

O que se viu foi uma batalha épica (e sangrenta) contra Nate Diaz que, após um primeiro round de intensa trocação, levou a luta para o chão e finalizou o irlandês com um mata-leão indefensável.

Nate Diaz acabaria devolvendo o cinto a Mcgregor numa revanche meses depois, a 20 de agosto, e atualmente ocupa a sexta posição no ranking da categoria.

Fonte: News Day

Fonte: News Day

6 – Miesha Tate x Holly Holm – UFC 196

A luta entre Tate e Holm, realizada a 5 de março em Las Vegas, foi de altíssimo nível para o esporte no feminino. Com muita cautela e concentração, Miesha Tate soube aplicar boas quedas e, em uma delas, dominar as costas, aplicar um plástico mata-leão e apagar a campeã Holly Holm.

Em sua segunda disputa de título, Miesha conquistou o cinturão dos galos e se tornou a quarta mulher a dominar a categoria.

Mais tarde, em novembro, a ex-campeã acabou perdendo para Raquel Pennington no UFC 205 e resolveu anunciar a aposentadoria.

Fonte: youtube

Fonte: youtube

7 – Ronaldo Jacaré x Vitor Belfort  – UFC 198

Não é exagero afirmar que o capixaba Ronaldo Jacaré, oito vezes campeão mundial de jiu-jítsu, é a grande revelação brasileira do mundo das artes marciais no momento.

Em Março de 2016, no UFC 198, Jacaré foi implacável contra outro atleta brasileiro, o experiente Vitor Belfort. Jacaré fez uma luta clássica e com muita autoridade: colocou o adversário para baixo, foi firme no ground and pound da montada e consagrou a vitória com um nocaute técnico.

Jacaré, que iniciou sua carreira no Jungle Fight em 2003, acabou de derrotar o americano Tim Boetsch no UFC 208 e se credenciou de vez como candidato à disputa do cinturão da categoria, atualmente nas mãos do norte-americano Michael Bisping.

Já Vitor Belfort vem de duas derrotas e vai tentar a recuperação contra o californiano Kelvin Gastelum, numa luta marcada para o dia 11 de março. As apostas das melhores lutas de MMA dão uma ampla vantagem a Gastelum, que tem a preferência de 76.9% dos apostadores contra 28.6% para Vitor.

Fonte: Getty Images

Fonte: Getty Images

8 – Glover Teixeira x Rashad Evans – UFC TAMPA

Glover Teixeira é mais um brasileiro que dominou a ação nos ringues em 2016. Controlou a luta contra Rashad Evans e, com um gancho de esquerda, colocou o oponente para baixo, obrigando o árbitro a interromper a luta ainda no primeiro round. A vitória rendeu ao brasileiro o prêmio de “Performance of The Night”, concedido pelo UFC pela melhor apresentação no evento UFC TAMPA, realizado na Flórida a 16 de abril.

Número 3 do ranking entre os meio-pesados, Glover vem de uma vitória sobre Jared Cannonier no UFC 208, a 11 de fevereiro.

Fonte: Getty Images

Fonte: Getty Images

9 – Michael Bisping x Luke Rockhold – UFC

Um nocaute espetacular marcou a vitória do inglês Michael Bisping na luta contra Luke Rockhold. O novo campeão dos pesos médios do UFC surpreendeu e nocauteou o americano aos 3m36s do primeiro assalto.

Bisping percebeu que tinha oportunidade de vencer e partiu para o domínio do combate. Com mais dois golpes duros com o americano já caído, o inglês forçou o árbitro a encerrar a luta.

Fonte: YouTube

Fonte: YouTube

10  – Robbie Lawler x Carlos Condit – UFC 195

O combate da virada do ano do UFC 195, realizado em 2 de janeiro, foi uma verdadeira batalha para qualquer amante de luta apreciar e elogiar. Um misto de agressividade, excessiva técnica e franca trocação, com cruzados e chutes altos, marcou a luta entre os meio-médios Robbie Lawler e Carlos Condit.

Com ligeira superioridade, inclusive por ter conseguido um knockdown e golpes mais contundentes no último round, Lawler levou a melhor na decisão dividida dos juízes.

Recomendado para você

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Anúncio

Anúncio

City Tour Foz do Iguaçu

Anúncio

Parceria

Categorias

Anúncio

Rodízio de massas - Noite Italiana
Logo do ClickFoz